Testemunhos

Testemunhos de casos de cura com Aloe Vera Arborescens

Testemunhos de casos de cura com Aloe Vera Arborescens

Casos de cura com Aloe Vera Arborescens de cancer fígado, cancer mama, cancer prostata, leucemia, anemia, gastrite, úlceras, gripe, asma...

 

EM ATUALIZAÇÃO DE MAIS TESTEMUNHOS

07-04-2016 - Recebido de Branka T – Grécia

Boa noite Antonio,

Obrigado pelo seu email. Vou começar a tomar Aloe quando meu pedido chegar. Duas garrafas do meu último pedido que dei ao meu pai que não está muito bem, ele se sente melhor desde que tomou FRZ.

             Plantação biológica CuraNatura em janeiro 2020
                   a 2 km da praia de Santa Cruz / Torres Vedras


17-02-2016 – Recebido de Lenka S - República Checa

Bom dia Antonio,

Bem, o carregamento chegou segunda-feira. E chegou muito bem, em bom estado, bem embalado.

(…)

Eu sei bem sobre os efeitos dessa aloe arborescens. Tenho dois amigos que tiveram câncer e usaram este babosa durante a quimioterapia.

Um deles me aconselhou e depois eu o levei àquele outro amigo (colega de trabalho) no hospital, quando ele estava muito doente.

Não se pode dizer com certeza que cura o câncer, aliás, mas o que posso confirmar é que ajuda muito durante a quimioterapia, que a pessoa não se sente tão mal e tem vontade de comer. O que é muito importante.

E desde então muitos colegas de trabalho e eu usamos como prevenção, uma ou duas vezes por ano. Já fiz com que vissem este seu produto e dei uma chance a eles, informei sobre essa possibilidade, a sua empresa.

Bem, é provável que outra pessoa do país tcheco faça um pedido para você no futuro.

Obrigado.

Cumprimentos.

Lenka S.


09-06-2015 – Recebido de Santa de Souza – Brasil

Ola me chamo santa de souza moro em laguna santa catarina brasil em 2013 descobri de modulo que já era um cancer no peritónio confirmado em 2 biopsias e himuno istoquimico para os médicos eu teria que fazer uma grande cirurgia onde tiraria a vesícula 1 ovário e faria uma quimioterapia aquecida ficaria na UTI por 15 dias e não havia nenhuma garantia de sobrevida. Depois do resultado comecei a tomar o Aloé Arborescens com mel receita do livro frei Romano Zago que minha irmã tem. Tomei e repeti a tomar refiz os exames e em outubro de 2014 recebi a grande noticia da minha vida a minha cura total e nem cicatriz ficou hoje refaço todos os exames e não existe nada de mal. Repasso essa receita para as pessoas para saberem que o cancer tem cura sim com o Aloe Arborescens.


18-06-2015 – Recebido de Ana Paula T. - Portugal

Estamos muito contentes com os resultados da minha mãe e acredito que o FRZ Aloe Arborescens teve muita influência no decorrer da doença, e como disse a médica ainda ontem na consulta foi com muita incerteza que receitou os tratamentos a D. Rosa dada a situação da minha mãe a nível (físico e idade). A minha mãe vai ser novamente operada para ser retirado o útero e ovários.

Quando tudo começou foi-nos comunicado a pior das sentenças, na colonoscopia que ela foi fazer tem uma inflamação no intestino, a médica nos informou ontem.

A reunião de grupo vai se realizar amanhã quarta feira para decidirem se o transito intestinal será feito, ou não, mas a medica afirmou dado ao exame do colon disse que quase de certeza.

Os órgãos são fígado, intestino e ovário.


30-03-2015 – Recebido de Barbara B. - Austria

Caro Antonio,

Eu espero que você esteja bem. Obrigado por enviar o pacote encomendado para Ursula Koch. Agora quero pedir novamente 4 frascos de FRZ Aloe Aborescens com 500 g para mim. Gosto desta planta, é muito boa para o estômago e o intestino. Diga-me os custos que tenho de transferir.

Bárbara B


07-02-2015 – Recebido de Paloma – Brasil

Desde que postei meu testemunho de cura, recebo muitos e-mails perguntando como estou atualmente.

Confesso que, de início, tinha "alergia" a palavra câncer e o fato de lembrar tudo o que passei resultava em plena dor. Cada um tem uma forma de se sentir. Muitos dos meus amigos dizem que contariam a todos a luta que passou para que outros possam se espelhar.

Já outros me falam que prefeririam ficar no reservado. Eu sou do grupo que, muitas vezes ficaria no reservado. Não que eu seja egoísta, mas que falar no assunto, muitas vezes me trazia muita dor, péssimas lembranças de meu sofrimento e de inúmeros amigos que conheci nos hospitais onde me tratava, que não tiveram uma segunda chance.

Então falar sobre o câncer, me fazia reviver tudo aquilo que queria esquecer. Mas isso foi ontem, no passado.

Então, um belo dia recebi um e-mail da Dra. AMT, que me fez mudar completamente meu modo de pensar. Tinha muito medo de iniciar uma conversa sobre o câncer, acredito que seja devido ao fato de tudo estar ainda muito recente, com as feridas ainda sangrando. Hoje ela me fez refletir, fazendo compreender que muitos precisam saber o que passei e do que me livrei para que possam ter esperanças e que se sintam confiantes em não só iniciar ao tratamento mas em manter.

Por esse motivo, hoje venho aqui, contar como estou.

Mas antes de tudo, quero dizer uma coisa: Não desanima! O desânimo te destrói, te corrói e faz você desistir. Cerque-se de bons e leais amigos e familiares. Esqueça aqueles membros da família que só te põe para baixo. Se não tiver a quem confiar, confie em si mesmo. É preciso ter muita força para dar o primeiro passo e começar o tratamento da babosa. Mas digo que é preciso ter mais força ainda para caminhar, continuar o tratamento e não parar no meio do caminho. Saiba que, de nada adianta, iniciar um tratamento se não tiver plena convicção de que terá de continuá-lo. Assim como uma andorinha só não faz verão, uma garrafinha só não trás a salvação!

Quanto a mim, estou completamente curada, sem aquela maldita doença. Maldita em partes, pois posso dizer que o câncer me fez enxergar coisas que antes não via, me fez ser uma pessoa melhor.

Atualmente me casei com o homem que sempre esteve ao meu lado, me dando apoio incondicional. Moro na Suécia, pais de meu marido e familiares. Local onde trabalho e vive feliz.

Em maio começo outra etapa em minha vida: Meu bebé nascerá!

Então, estou vivendo a vida na mais plenitude que um ser humano é capaz de viver. Dou valor a cada minuto da minha vida, mesmo nas adversidades e nos problemas do dia, pois, afinal, é nos problemas que encontramos forças para lutar e para aprender.

Venho então, através da minha vida, dar coragem a sua. Fazer você, que está passando por todo esse tormento, enxergar que mesmo com o dia nublado, há estrelas por cima das nuvens, esperando a hora certa para aparecer, em todo o seu resplendor.

Saiba que acima de tudo, é a sua vontade de viver que fará você vencer. Pois de nada adiantará os outros lutarem a sua batalha. Você precisa crer, você precisa ser fiel ao tratamento, você precisa lutar. Cada dia festeje. Cada melhora, mesmo que mínima, festeje.

Confie! Persevere!

Vá agora mesmo tomar seu Preparado e, com toda sua fé, dê graças à Deus por ser privilegiado em conhecer essa maravilha de planta. Pense em muitos que não tiveram a mesma oportunidade de conhecimento que você!

Sou a prova de que tudo se consegue com força, coragem e disciplina.

Um abraço a vocês!

Paloma
 

03-11-2014 – Recebido de Dr. med. Ingo W. - Austria

Egregio Antonio,

Envie-nos novamente 10 FRZ Aloe Arborescens.

Nós amamos isso. O sabor é muito bom e se Romano Zago o recomenda, deve haver a bênção do CRIADOR de tudo nele.

Obrigada, Ingo

 

30-10-2014 – Recebido de Mathilde D. – France

Caro Sr. Mota, muito obrigado por todas essas respostas e conselhos.

Desde os primeiros dias descobri que já psicologicamente havia uma mudança perceptível, mais viva, menos lenta, menos atordoada ... os intestinos .. o segundo cérebro!

Agradecendo você,
Te vejo em breve,

Sinceramente,

Mathilde

 

04-09-2014 – Recebido de Caroline V. (naturopata) - Bélgica

Caro Antonio,

Acabei de tomar o primeiro frasco ... e estou muito animada porque me deu mais energia, mais feliz e, se assim posso dizer, maior libido ...
Obrigado,

Caroline

 

07-08-2014 – Recebido de Brigitte R. – Alemanha

Caro Antonio,

Tenho uma amiga que sofreu dores na parte superior e inferior da barriga. Ela também tinha evacuações com esforço e fezes mucosas. Eu disse a ela que tenho tomado com sucesso Aloe Arborescens FRZ contra o câncer pancreático.

Ela estava ansiosa para experimentar o A.A. para ela mesma. Uma semana e meia depois, ela me ligou e me disse feliz que sua dor havia sumido e que suas fezes não estavam mais mucosas. Que maravilha. Ela continuará a tomar A.A. até que ela se sinta completamente curada. A partir de então, ela o fará em um ciclo regular de 6 meses.

Obrigado pelo seu apoio,

Brigitte (Alemanha)

 

16-06-2014 – Recebido de José Tejada M. - Espanha

Desenvolvi terapias para o cancer, com resultados eficazes, a cura do Fray Romano é eficaz.

Muito em breve estarei explicando à humanidade sobre o diabetes e sua verdadeira origem.

Saudações.

José Tejada M.

 

15-04-2014 – Recebido de Diácono R. – Brasil

Boa noite, gostaria de relatar que em outubro de 2013, meu sogro de 86 ano foi diagnosticado com câncer no reto com aproximadamente 10 cm grau 3 e do diagnostico até a cirurgia foram dois meses, mesmo tempo que apos ter sabido do diagnostico comuniquei com minha mãe que me ensinou a receita do Frei Romano Zago. e digo que por dois meses antes da cirurgia, e quando foi ser operado não existia mais o câncer, somente uma pele vazia onde estava o tumor.

Gostaria de agradecer por ter divulgado este tratamento e hoje faço para varias pessoas e ensino fazer. um fraterno e grande abraço. Deus opera nos simples.

Diácono. R
 

16-04-2014 – Recebido de Liliana T. – Portugal

Boa tarde Sr. António Mota,

Surgiu-me keratose pilar na cara, será que as folhas ajudam nessa doença de pele?

Na altura experimentei os 2 frascos para curar urticária nervosa e fiquei bem, porém agora como estou a tentar engravidar tenho receio de tomar o xarope. Será que somente as folhas resultam?

Cumprimentos

Liliana T.
 

14-04-2014 – Recebido de Emil R. – Austria

Caro Sr.Mota!

Obrigado pela entrega! Dou um pouco na minha esposa que tem uma nova doença e espero que o FRZ a ajude!

Os novos frascos são uma ideia muito boa, pois quando você consome para prevenção é exatamente o quantitativo e quando você está na terapia fica muito mais fácil de manusear!

Agora eu dou apenas como um presente e prevenção para mim e amigos. Eu quero receber feedbacks do humano afetado. (Minha primeira mulher não perde todos os cabelos e pode comer durante a quimioterapia - isso é importante para as mulheres!)

Saudações de Viena

 

05-03-2014 – Recebido de Agatha K. - Alemanha

Caro Antonio,

Na última sexta-feira recebi o resultado do MRT:

O pequeno tumor (em um lugar difícil entre a bexiga e o intestino), que nenhum médico quer operar nem mesmo os cirurgiões do Hospital Universitário de Colônia: sumiu !!!

Estou muito feliz e quero continuar a tomar esta planta abençoada a cada 3 meses, 3 vezes por garrafa.

Obrigado por sua ajuda e pelos relatórios interessantes de outros pacientes. Deus abençoe seu trabalho! Agatha de Colônia / Alemanha

Orando a Deus -Jesus e Aloe Arborescens ajudem !!!!

 

17-02-2014 – Recebido de Fulvia – Italia
(cancer nos pulmões com metástases)

Muito obrigado Antonio, logo irei confirmar a quantidade exata de pacotes, junto com o respectivo pagamento.
Falando no cabelo do meu pai na quimioterapia ... ele não perdeu nenhum! e ele nunca foi incomodado por l'aloe ou pela quimio.

até logo

uma saudação

Fulvia

 

29-01-2014 – Recebido de Mário M. - Portugal

Quero partilhar meu testemunho:

Posso afirmar que o Aloe Arborescens me regularizou: Estomago, Intestinos, principio de Anemia, e aplicado localmente diretamente sobre a zona afetada: Me tem aliviado muito dores e inflamação na Coluna vertebral, pois tenho Uma Hérnia discal.

Graças a Deus, que colocou ao nosso alcança este remédio natural.

Aconselho

Mário M.
 

23-09-2013 – Recebido de Elisabete P. – Portugal

Eu, Elisabete, fui diagnosticada com um cancro de mama em 2008 (G3 extremamente invasivo). Fui operada 5 meses depois fiz 8 tratamento de quimioterapia e 25 de radioterapia como deve imaginar foi muito abaixo poucas defesas sem força.

Um amigo meu falou-me de um medicamento base de aloe e comecei a tomar há um ano o resultado foi o seguinte: tenho mais força os meus intestinos trabalham todos os dias que não acontecia a muito anos, os valores dos marcadores estão mais baixos, depois disso o que eu quero dizer é que vou continuar a tomar.
 

20-09-2013 – Recebido de André I. - Portugal

Olá Sr. Antonio, sou André Irulegui ao qual falamos ao telefone a pouco.

Gostaria de relatar sobre o Tumor no Recto que foi detectado no meu sogro há cerca de 3 meses.

Após ser tratado durante 6 meses no Hospital para Hemorróidas…foi-lhe indicado que fizesse uma biopsia ao recto e dai ter sido detectado o tumor.

Perdeu 6 meses tratando hemorróidas…

Deu entrada no IPO e foi imediatamente direccionado para Quimioterapia e radioterapia durante 6 semanas…

Durante o tratamento ele continuo com o xarope…não houve nenhum sinal físico nele de reação aos tratamentos químicos…ou seja, não caiu um fio de cabelo e ele inclusive aumentou seu peso, seu apetite, enfim…ninguém dizia que estava em tratamento hospitalar com químio.

A cirurgia correu muito bem…na 1ª consulta após a cirurgia o Medico relatou que o tumor tinha sido retirado na totalidade e que não restavam células malignas… e quase confessava que somente com a químio e rádio já não seria preciso cirurgia… mas que o protocolo exigia…

Nossa esperança com ele agora é que ele consiga evoluir de tal maneira que não seja preciso mais usar o saquinho pois é muito incómodo para ele.

Voltando a falar sobre o xarope….foi-nos indicado por uma amiga também ela com tumor na coluna vertebral, o Tónico de Aloe A rborescens… dai ter contactado o sr. Antonio via Cura Natura…porém neste meio tempo soubemos do Xarope do Frei Perdigão no Mosteiro de Montariol em Braga.

Daí então começámos o tratamento com uma 1ª dose de cerca de 1 litro de xarope com 1 colher 30 minutos Antes das refeições e em paralelo uma dieta rigorosa sem leite animal, carnes vermelhas etc

Na 2ª dose são 2 colheres e sem dieta rigorosa mas sempre mantendo dentro do possível uma melhor alimentação também.

Vou agora para a 3ª dose, não sei a quantidade de colheres….

Paramos 1 semana entre uma dose e outra.

Quando comecei meu PSA era de 4.9, após a 2ª dose baixou para 3.3

Da 2ª para a 3ª dose fiquei cerca de 1 mês sem tomar…fiz um exame de PSA e ele voltou a subir para 3.6

Espero que essa ligeira subida não reflita uma reação do tumor novamente… vou tomar a 3ª dose a próxima semana.

Relembro que meu caso em particular é um tumor muito pequeno na próstata… ela possui um volume normal porem com esse pequeno tumor interno….

Desejo muito evitar a cirurgia pois sei dos riscos que corro em termos de qualidade de vida.

Espero ter ajudado com meu relato e qualquer dúvida entre em contacto…

Um grande abraço e muita saúde para o Sr. e sua família
 

08-09-2013 – Recebido de Michel A. - Suiça

Prezada Senhora / Senhor,

Recebemos seu produto e começamos os testes aqui na Suíça e até agora estamos satisfeitos com os resultados.

Por favor, envie-nos um orçamento de 3 unidades e o custo de envio para a Suíça e faremos nosso pedido.

Cumprimentos,

Michael A.

 

21-08-2013 – Recebido de Juan Antonio R. – Espanha

Ola Antonio,

Tenho notícias promissoras.

Há um mês fiz um teste diagnóstico num hospital privado (pelo qual tive de pagar quase 600 euros) por sugestão do meu urologista.

O teste foi uma Ressonância Magnética Dinâmica que só é feita por este hospital da Andaluzia (sul da Espanha). Envolve tirar uma imagem da próstata para ver o grau de envolvimento que teve para decidir o tipo de intervenção.

A surpresa do urologista foi enorme, pois os resultados o informaram que, se o câncer existia, era TÃO PEQUENO que o aparelho NÃO O DETETOU!

Como podem imaginar, a alegria foi enorme, mas não quero baixar a guarda e quero continuar com o Aloe Arborescens como antes.

Por este motivo, por favor, envie-me folhas de Aloe Arborescens novamente o mais rápido possível. Espero que me deixe o mesmo preço acima.

Espero notícias tuas.

Um abraço forte.

(Em Setembro -21 a 22- com certeza estarei em Lisboa e se puder ligo-te para te ver e cumprimentar.)

Juan Antonio R.

 

CANCER NO ÚTERO - XVIII

Filipa M., cerca de 30 anos, residente em Amora / Seixal. Tem cancro no útero. Tomou o primeiro FRZ Aloe Arborescens em Janeiro e adquiriu um segundo FRZ em 14.Fevereiro na nossa loja, em Oeiras. Vinha feliz porque o tumor de oito centímetros que tinha no útero, estava reduzida a quatro centímetros apenas com um FRZ.

Filipa M. – Amora / Seixal / Portugal – 15.Fevereiro.2013

 

CANCER NA PRÓSTATA - XVII

Manuel C., 80 anos, residente em Oeiras, com cancro na próstata. Em Dezembro.2012 estava a aguardar ser operado e adquiriu um FRZ Aloé Arborescens na nossa loja, em Oeiras. Em Janeiro.2013 tomou novo FRZ e acaba de adquirir um terceiro frasco depois de uma consulta médica, onde foi informado da melhoria de todos os parâmetros clínicos. A operação, em função destes resultados, foi suspensa.
Manuel C. - Oeiras / Portugal – 6.Fevereiro.2013

 

CANCER NO ÚTERO - XVI

Jorge C. um cliente de Guimarães, adquiriu há cerca de três meses dois FRZ – por um descargo de consciência, disse ele – para a sua mãe, em estado quase terminal, com um cancro no útero, com metástases e com perdas de sangue em vários órgãos.

Já comprou seis FRZ e ontem telefonou a encomendar mais dois, comunicando-nos que as perdas de sangue terminaram e que o estado da mãe está bom relativamente ao passado recente. Como de costume nestas situações, disse: “Não sei se é do Aloe ou do que quer que seja, mas o certo é que ela está bem!”
Jorge C. - Guimarães / Portugal - 29.Novembro.2012

 

CANCER NO FÍGADO - XV

Ana Maria M., de Coimbra, encomendou e ofereceu a uma amiga - com cancer no fígado e cujo nome desconhecemos - dois FRZ.

Acaba de pedir mais dois FRZ, com a seguinte informação, transmitida por telefone: “A minha amiga foi a uma consulta médica e foi informada que o seu fígado estava ‘de seda’!”

Os parâmetros das análises clínicas estavam em conformidade com um bom estado de saúde.
Ana Maria M., Coimbra / Portugal - 14.Novembro.2012

 

CANCER NA PRÓSTATA - XIV

E-mail recebido de Juan Antonio M., de Madrid – Espanha:

Olá de novo amigo Antonio,

Acabei de encomendar uma nova garrafa de FRZ Aloe Arborescens, desta vez para um amigo com o mesmo problema: cancer de próstata.

Tenho ótimas e incríveis notícias para lhe contar:

No último exame de sangue que fiz no hospital, MEU PSA BAIXOU (Antígeno específico da próstata) abaixo de 10 e ao contrário do que médico especialista!!

Tanto que por enquanto a operação que eles iam me fazer foi cancelada dentro de um mês.

Liguei expressamente para o urologista (médico especialista) por telefone para me avisar.

A equipe médica está surpresa!

Eu ainda não quero jogar os sinos voando (ou seja, ser muito feliz e comemorar) agora.

Ainda é incrível e vou esperar até repetir o tratamento e ver os resultados do um novo teste de PSA em um mês.

Mas o que já é verdade é que algo positivo alcançou a receita do Fray Romano Zago. Estou agradavelmente surpreso e feliz.

Atenciosamente e um abraço amigo António.
Juan Antonio M., de Madrid – Espanha - 1.Novembro.2012

 

MÉDICA HOMEOPATA - breve depoimento - III

Mais um e-mail recebido da nossa cliente Dra. Cláudia O. Médica Naturopata, de Setúbal

Meu caro António,

Tenho muito gosto em expressar a minha satisfação, na utilização do FRZ, sendo que tenho obtido excelentes resultados com os meus doentes.

Prescrevo o Frz em vários casos, desde a simples profilaxia no caso de quadros alérgicos, a desintoxicações, como em casos mais complexos de neoplasias, aliás, aconselho a toda a gente a toma do xarope no início do Outono e da Primavera.

No início da toma, os sintomas exacerbam-se, ocorrência natural no tratamento homeopático; poucos dias depois estabilizam; e num terceiro período – um a dois meses - as melhoras são, digamos assim, próximas daquilo que se pode chamar ‘cura’.

Ressalvo situações terminais, sendo que nesses casos, poderemos contar com o FRZ no sentido de atenuar os sintomas de mau estar inerentes aos tratamentos.

Como naturopata, analiso a qualidade do remédio pela ordem em que se desencadeiam os sintomas e por experiência, julgo ser um excelente remédio natural.

O FRZ tem sido um valioso aliado ao meu trabalho enquanto naturopata e espero que a sua divulgação seja feita em maior escala, pois tem um grande peso no sucesso de um tratamento.

Para além disso, o vosso serviço é extremamente eficiente o que é também um fator de peso.

Continuem a fazer esse excelente trabalho.

Grata,
Cláudia Oliveira – Setúbal / Portugal - 16.Outubro.2012

 

CANCER NA MAMA - XIII

Telefonema recebido da nossa cliente Teresa M., de Luanda / Angola, com cancer na mama, a pedir mais dois FRZ, depois de já ter tomado, desde há cerca de um ano, quatro FRZ: “Sinto-me bem e com muita energia”
Teresa M. - Luanda / Angola 10.Outubro.2012

 

CANCER NA BEXIGA - XII

Manuel S., de Linda-a-Velha, Oeiras, com cancer na bexiga, detetado pela primeira vez há cerca de cinco anos.

Este mal reacendeu há cerca de seis meses e decidiu tomar FRZ há cerca de dois meses. Tomou dois FRZ e sentiu-se com mais energia. Repetiu a dose, continuou a sentir-se bem. Sujeito a quimioterapia, disse que a suportou perfeitamente bem, proferindo: “É como se estivesse a beber água, podia tomá-la o ano inteiro!”

Neste momento os parâmetros das análises, para espanto do médico que o trata e a quem teve a franqueza de informar que estava a tomar um xarope de Aloé, tem os parâmetros de análises melhoradas.

A sua felicidade é grande, pois o médico, anteriormente, tinha-lhe prescrito a extração da bexiga, algo que, neste momento, está fora de causa. Hoje adquiriu mais dois FRZ para consolidar o mal que o afeta.
Manuel S., de Linda-a-Velha, Oeiras / Portugal, em conversa pessoal com António Mota – naturopata e diretor CuraNatura - 4.Outubro.2012

 

CANCER NA MAMA - XI

Depoimento pessoal da nossa cliente Maria Elisabete B. - Alcântara / Lisboa com cancer na mama:

Depois de tomar dois FRZ Aloe Arborescens todos os parâmetros das suas análises clínicas melhoraram, bem como o seu estado físico, nomeadamente no braço direito, debilitado depois da operação, recuperou forças rapidamente.

A sua médica ficou surpreendida com tais resultados e a Maria Elisabete teve a franqueza de lhe dizer que estava a tomar um produto homeopático. A médica sugeriu-lhe que deixasse de o tomar durante três meses para averiguar a origem do resultado da sua franca recuperação. Esta indicação não foi aceite pela Maria Elisabete que, para continuar a consolidação da sua recuperação, adquiriu mais dois FRZ Aloe Arborescens.
5.setembro.2012 – depoimento pessoal de Maria Elisabete B. – Lisboa - Portugal

 

DOENÇA ONCOLÓGICA (por nós desconhecida) - X

E-mail recebido da nossa cliente Catarina V. – Azambuja:

“Vinha-lhe pedir um especial favor, a minha mãe ficou sem Aloé para tomar mas esqueceu-se de me dizer, porque chegamos à conclusão de que quando faz a pausa de dez dias depois da toma dos 2 frascos a Hemoglobina desce logo os valores então temos reduzido a pausa, eu hoje fiz a compra e já paguei, acha que seria possível enviar me com urgência o frasco de modo a chegar sexta-feira?

Se for possível agradeço.

Ela está muito melhor, os exames revelaram que o cancro principal reduziu drasticamente, os médicos pensavam que as metástases tivessem a apanhar a medula, mas já veio o resultado do exame e não estão, e ela tem-se sentido melhor.”
E-mail recebido de Catarina V. – Azambuja / Portugal - em 8.Ago.2012

 

GASTRITE COM REFLUXO

Relato presencial efetuado pela nossa cliente Aida F.:

Tem uma gastrite resistente que lhe provocava profundo mal-estar desde há cinco anos. Para a combater tomava, diária e ininterruptamente, o químico Omeprazol, que lhe resolvia este incómodo, mas consciente dos efeitos secundários.

Experimentou FRZ Aloe Arborescens e, depois de tomar cerca de meio frasco, sentindo-se bem, deixou de tomar os referidos comprimidos. Nessa altura, ainda sentia algum incómodo quando se baixava. Tomou a segunda dose (outro FRZ) e sente-se sem qualquer incómodo.

Nós acrescentamos: a par destes benefícios, reforçou todo o seu sistema imunológico e encontra-se bem mais precavida do aparecimento de cancer.
Relato presencial de Aida F. – Oeiras, em 4.Jul.2012, com António Mota, naturopata e diretor CuraNatura.

 

CANCER NA MEDULA - IX

Relato efetuado pelo nosso fornecedor de molduras, amigo e conhecido de há vários anos, Manuel Pires - Paço de Arcos: o seu sogro, António da Silva Tecelão, teve um cancer diagnosticado na medula e foi acompanhado no Hospital de Santa Maria durante 22 anos. Faleceu de AVC, em 2011, com 84 anos.

Durante este período, com conhecimento de toda a família, tomou regularmente a fórmula FRZ Aloé Arborescens, divulgada há décadas por Frei Romano Zago. Quando faleceu, estavam dois frascos deste preparado no frigorífico.

Posteriormente, em conversa com o médico que o assistiu - não me referiu em que período, embora o tivesse identificado - este mostrou-se muito admirado pelo seu tempo de longevidade, porque, segundo ele, ultrapassou quatro vezes o tempo médio de vida que esta doença proporciona naquelas circunstâncias.

Contudo, o mais curioso é que a causa do seu óbito foi um AVC.
Manuel Pires - Paço de Arcos - em conversa pessoal, em 11.Jan.2012, com António Mota, naturopata e diretor CuraNatura

 

MANCHA E COMICHÃO NA PELE

Recebemos o seguinte testemunho da nossa cliente Ana Carvalho, que publicamos com autorização da própria:

Surgiu-lhe uma alteração na coloração da pele das costas, mais esbranquiçada. Além de inestética e preocupante, provocava-lhe imensa comichão. Tomou um FRZ Aloe Arborescens: a mancha e a comichão desapareceram, mesmo antes de tomado o frasco por inteiro.
Ana Carvalho - Barreiro - 18.Outubro.2011

 

MELHORIA GERAL DO ESTADO FÍSICO

Recebemos do nosso Cliente A. M. Amaro (48 anos), o seguinte e-mail, sobre a sua toma do FRZ:

Desde o fim da primeira semana comecei a sentir melhorias substanciais no meu estado geral: mais resistência à fadiga, aparelho digestivo perfeito regular.

Depois dos dois meses iniciais durante os quais tomei 4 frascos, 3 vezes ao dia, começo o meu dia tomando o FRZ Aloe dose que pretendo manter indefinidamente…
A. M. Amaro - Lisboa - 15.Outubro.2011

 

CÁLCULOS (PEDRAS) NOS RINS e HEMORRAGIA ONCOLÓGICA - VIII

Recebemos de Suzana Ribeiro - S. Paulo, Brasil - a mensagem que a seguir transcrevemos. Não sendo nossa Cliente, mas acompanhando o nosso website, teve a amabilidade de nos permitir acrescentar estes testemunhos:

Desde que o Frei Romano Zago surgiu com a babosa (nosso FRZ®) eu tenho feito uso dela com muito sucesso e divulgo-a para todos que conheço. Já o fiz para o meu cardiologista, entre outros conhecidos. Eu tinha três pedras nos rins e com a babosa elas se dissolveram. Fiz com a babosa e acompanhada pelo meu clínico geral, que ficou abismado com o diagnóstico depois de alguns meses.

Também tem um outro episódio. Um amigo meu que morava nos EE.UU voltou ao Brasil porque a mãe dele estava com câncer já em estado avançado e eu fiz a babosa para ele, que administrou na sua mãe no Hospital Beneficência Portuguesa, mas ela já estava muito mal e veio a falecer e ele retornou para os EE.UU.

Chegando lá ficou sabendo que uma de suas amigas passara por uma cirurgia para tirar um quisto (?) do ovário e que depois da cirurgia ela começou a apresentar um quadro de hemorragia muito intenso e nada fazia parar. Os médicos já haviam tentado de tudo e não tinha explicação para o quadro dela.

Então, esse meu amigo falou com a equipe médica sobre a babosa e os médicos pediram para ele preparar e levar para o hospital, pois, como já haviam tentado de tudo, não "custava nada" tentar mais alguma coisa.

Não sei onde ele encontrou a babosa, mas como ele tinha me visto fazer para a mãe dele, ele fez direitinho e levou para o Hospital. Para espanto da equipe médica, dois dias depois a hemorragia diminuiu e logo se estancou por completo.

Eu sempre falo a respeito desses acontecimentos para todos que eu encontro, até em conversas informais dentro do ônibus, metrô.

Estou tomando novamente por que já fazia alguns meses que não tomava. "Não vivo sem a babosa".
Suzana Ribeiro - S. Paulo, Brasil - amável email de 30.Junho.2011

 

NÓDULO NA MAMA E PRISÃO DE VENTRE - VI-b

Em continuação do relato da nossa cliente, D. Helena Martins - abaixo descrito com data de 18.Nov.2010 - com autorização da própria, e depois do telefonema hoje efetuado, ficámos a saber que está bem.

Na altura recusou a operação e agora tem os marcadores tumorais em níveis normais.
Telefonema com D. Helena Martins - Cruz de Pau - em 17.Jun.2011

 

CANCER NA PRÓSTATA E DIABETES - VII

Relato com autorização do próprio, Cliente desde Janeiro 2010. Pedimos-lhe, por telefone, para relatar por e-mail o seu caso e gentilmente acedeu.

Tem 50 anos de idade.

Tomou nove frascos FRZ - oito frascos em um ano - os iniciais sem mel, por ser diabético.

Os três últimos, com meio mel, porque, naturalmente, o FRZ potencia-se na sua fórmula completa. Sente-se bem, tem os níveis controlados da Diabetes.

Escreveu-nos este nosso Cliente:

"Boa tarde, venho apenas relatar os resultados do vosso FRZ; eu há aqui 3 anos, de repente, o meu PSA da próstata, passou de 7 para 27*, apesar de fazer o controlo todos os anos. Fui ver um médico, fez uma biopsia e viram que era maligno. Andei em diversos médicos, mas resultados foram poucos. De maneira que ouvi falar no aloé, e então comecei a tomar (desde Janeiro.2010) e hoje sinto-me bem. O PSA acusa sempre 000, graças ao aloé (FRZ).

Neste breve, acho que é o suficiente, cumprimentos".

* Índice normal: =<4.
Francisco de Almeida - Contenças de Baixo / Mangualde - em e-mail de 16.Maio.2011

 

MÉDICO HOMEOPATA E CLÍNICO - breve depoimento - II

Grato pelo envio de vossa neswsletter referente à ALOE, que utilizo há décadas com bons resultados.

Como médico homeopata e clínico, recomendo (o FRZ) sempre a meus amigos e pacientes, no Brasil e em Portugal, para tratamento de várias patologias internas e externas.

Publiquem, com minha autorização, meu breve relato para efeito de marketing positivo referente ao vosso notável produto terapêutico de valor incontestável pela ciência médica atual no mundo inteiro.
Prof. Paulo de Lacerda, São Paulo - Brasil - MD, PhD (excerto de dois e-mails enviados em 23 e 24.Março.2011 e com quem já trocámos anterior correspondência)

 

MÉDICA HOMEOPATA - breve depoimento - I

Relato telefónico autorizado pela nossa cliente, Médica Naturopata, Cláudia Oliveira, Retiro de Amor e Paz, Setúbal, sobre os resultados obtidos nos seus pacientes, com o FRZ® desde que utiliza este produto, há três meses. São todos oncológicos, diagnosticados clinicamente. No início da toma, os sintomas exacerbam-se, ocorrência natural no tratamento homeopático; poucos dias depois estabilizam; e num terceiro período – um a dois meses - as melhoras são, digamos assim, próximas daquilo que se pode chamar ‘cura’. Todos ressalvamos situações terminais, embora, mesmo aqui, haja algum sucesso.

Também, no seguimento de uma observação telefónica ocorrida há cerca de um mês, em que nos referiu que um doente oncológico, contrariamente ao que normalmente ocorre em todas as situações, tinha prisão de ventre após as primeiras tomas do FRZ®, quisemos, naturalmente, saber do seu estado. Respondeu: “Normalizou e estabilizou.

Está bem.”.
Médica Naturopata, Cláudia O., Retiro de Amor e Paz, Setúbal em conversa telefónica com António Mota – naturopata e diretor CuraNatura - 28.Fev.2011

 

INFLAMAÇÃO NA PELE - DERMATITE

Descrição pessoal de Isabel R., Vila Nova de Poiares:

Desde há alguns meses que lhe apareceram, espalhadas por todo o corpo, e cada vez com maior intensidade, incontáveis borbulhas que lhe provocavam intensa comichão e mal-estar.

Foi assistida por diversas vezes no Centro de Saúde e Hospital com diferentes comprimidos, cápsulas e ampolas. O resultado foi sempre nulo.

Depois de lhe recomendarmos que deveria esfregar o corpo com o gel da folha Aloe Arborescens, em uma semana, as referidas borbulhas começaram a murchar e a comichão a desaparecer. Hoje, passado menos de um mês, encontra-se completamente bem.
António Mota – naturopata e diretor CuraNatura - 15.Fev.2011

 

DIABETES

Recebemos um telefonema do nosso cliente Norberto C., de Faro, a querer saber mais informações sobre o FRZ®.

Falou-nos do seu caso: é diabético há alguns anos, tomava todos os dias um comprimido (químico) para regular a diabetes. Durante o dia andava bem; ao acordar, estava sempre com 180/190.

Depois de haver tomado um frasco FRZ (sem mel) libertou o químico, continua bem durante o dia e acorda com a diabetes 143/145.
António Mota – naturopata e diretor CuraNatura - 20.Jan.2011


GANGRENA

Recebemos um telefonema da nossa cliente Luísa M. das Caldas da Rainha, pedindo alguns esclarecimentos sobre e descrevendo a sua própria vivência com a Aloe Arborescens:

O seu pai está acamado há vários anos, não referiu o tipo de doença, e tem sido assistido por vários médicos e enfermeiros, sem que lhe solucionem as ‘escaras’, como se referiu às gangrenas.

Referiu a profundidade das feridas, descrevendo o desaparecimento da pele, massa muscular e óssea, ‘da carne’, como citou.

Depois de ter aplicado diretamente o gel da Aloe Arborescens, acompanhado do FRZ, a reconstituição dos tecidos verificou-se em menos de um mês e hoje tem o problema sob controlo.

Depois de constatadas as melhoras pelos enfermeiros e médico que se ocupam clinicamente do paciente, todos se mostram ‘admirados’ com o efeito conseguido, algo que a nós não admira, pelas situações análogas que temos presenciado.
Luisa M. - Caldas da Rainha, em telefonema de 25.Nov.2010 com António Mota – naturopata e diretor CuraNatura.

 

NÓDULO NA MAMA E PRISÃO DE VENTRE - VI

Com autorização da própria, senhora que já ultrapassou os 60 anos, divulgamos o seu e-mail recebido em 18.Nov.2010:

“Envio notícias :

Estou ótima, quanto ao nódulo, parece ter diminuído um pouquinho, não sei, talvez a minha Fé divina assim, também é muito cedo.

Penso continuar com o tratamento, em Janeiro vou fazer um exame < eco--mamária > aí, veremos a situação, o FRZ deve estar a terminar, depois entrarei em contato para me enviarem mais.

Há algo muito importante, ao longo dos anos vinha a sofrer de prisão de ventre, tomava medicação todos os dias, agora o problema está resolvido, só por isso valeu apena, um bem-haja ao Aloe Arborescens.

Continuo com a dieta, com a qual me sinto muito bem.

Termino, envio cumprimentos.”
Helena Martins - Cruz de Pau

 

NEUROBLASTOMA - CANCER RARO EM CRIANÇA DE 4 ANOS - V

Excerto de uma conversa no msn, em 17.Fev.2006 entre António (eu) e uma amiga

(Olinda), sobre as melhoras de uma criança de 4 anos, afetada com um cancer raro – neuroblastoma - depois de haver tomado o xarope Aloe, receita de Frei Romano Zago:

Antonio diz: Amiga!!!! como estás???

Olinda diz: Oláaaaaaa

Olinda diz: Bem e tu meu querido?

Olinda diz: está tudo bem contigo?

Antonio diz: estou bem, parti um braço no fim de ano, mas desde ontem q o tenho livre outra vez

Olinda diz: como foi isso acontecer?

Antonio diz: foi em Andorra, fui à neve, e pumba, um maluco veio contra mim

Antonio diz: e tu, amiga, como tens passado?

Olinda diz: tenho andado bem

Antonio diz: o teu enteado, como está?

Olinda diz: está bem melhor

Antonio diz: q bom!!!!

Olinda diz: a químio tem feito muito

Olinda diz: os vestígios da doença voltaram a desaparecer

Olinda diz: mas vai continuar o tratamento

Antonio diz: maravilha

Olinda diz: está a tomar o xarope de aloé

Olinda diz: graças a ti, obrigada amigo

Olinda diz: de coração

Antonio diz: q bom ele estar a dar-se bem!!!!

Antonio diz: fico felicíssimo

Antonio diz: qual é a estirpe de cancro q ele tem?

Olinda diz: neuroblastoma

Olinda diz: é muito raro

Olinda diz: e só aparece em crianças pequenas

Olinda diz: é galopante

Antonio diz: q órgãos ataca?

Olinda diz: atua através do sistema nervoso central

Olinda diz: pode atacar em qualquer parte

Olinda diz: o Francisco já o teve perto dos rins da primeira vez, mas desapareceu

Olinda diz: esta última vez foi nos ossos das pernas perto do joelho, mas já não tem vestígios

Antonio diz: estou tão contente ...

Antonio diz: q idade ele tem agora?

Olinda diz: 4, vai fazer cinco em Maio

Olinda diz: é uma criança linda, inteligente e cheio de vida

Olinda diz: dá gosto ver, não tem aquele aspeto doente apesar da falta de cabelo que já está a nascer

Antonio diz: q bom q bom ... n tenho palavras para a minha surpresa de contentamento

Antonio diz: na última vez q falámos, vcs estavam desesperados

Olinda diz: estávamos mesmo, a doença tinha voltado a aparecer e os médicos não davam grandes esperanças no tratamento

Antonio diz: sabes? os miúdos têm muita vivacidade e reagem melhor q os adultos

Olinda diz: dão verdadeiras lições de vida, temos muito a aprender com eles

Antonio diz: foi nesta última fase q vcs lhe passaram a dar o xarope de aloe?

Olinda diz: sim

Antonio diz: ele reagiu sem rejeição?

Olinda diz: sim e começou a ultrapassar cada vez melhor os efeitos da químio

Antonio diz: tenho uma prima minha com cancro na mama a quem sucedeu o mesmo ... suporta relativamente bem a químio ... e sente-se bem

Olinda diz: o sabor do xarope é intragável

Olinda diz: mas depois de lhe explicarmos que lhe ia fazer bem e lhe ia fazer passar as aftas na boca

Olinda diz: ele começou a tomar mesmo sabendo muito mal

Antonio diz: e...

Olinda diz:e as aftas foram diminuindo de intensidade

Antonio diz: maravilha!!!

Olinda diz: ele tem sessões de químio de 48 h de 2 em 2 semanas e isso provocava-lhe efeitos horríveis

Olinda diz: aftas na boca de tal forma que ganhava febre e deixava de comer

Antonio diz: tadito...

Olinda diz: Obrigando-o a ficar internado vários dias

Olinda diz: mas agora tem aftas mas bem menores

Olinda diz: já não sofre tanto, nem enjoa

Olinda diz: come muito bem

Antonio diz: enches-me de contentamento

(…)

Infelizmente, não voltei a ter contacto com esta amiga, mas faço votos para que o “Francisco” – nome fictício – esteja grande, rijo e continue inteligente!
António Mota - naturopata e diretor CuraNatura

 

CANCER NA PRÓSTATA - IV

Transcrição da primeira cura de cancer orientada por Frei Romano Zago e cujo êxito o fez acreditar na eficácia desta fórmula para combater o cancro:

“Um dia, regressando da assistência a uma capela do interior (Rio Grande do Sul - Brasil), sou abordado pelo ferreiro da aldeia:

- Frei, meu tio João está com cancro na próstata. Está internado no Hospital Marques de Sousa e, segundo afirma o médico, seu caso não tem volta. É uma questão de alguns dias, garante ele. Em nome da família, peço que lhe administre os sacramentos.

- Obrigado por ter-me avisado. Claro que irei levar-lhe o óleo dos enfermos. Seu tio está consciente? Acha que posso deixar o atendimento amanhã?

- Perfeitamente. Meu tio encontra-se muito fraco, mas resistirá até amanhã. Porém, os médicos dizem que não passa a semana. Acabo de chegar de lá agora e concluí que a coisa está feia…

No dia seguinte, após o atendimento na capela dos Navegantes, desloquei-me até ao hospital. Dona Gema, a esposa do enfermo, denotando sinais de estafa e preocupação, aborda-me à entrada do quarto:

- Padre, antes de mais nada, obrigada por ter atendido ao nosso pedido. Depois, peço que diga ao João que ele está com cancro. Gostaria que fizesse uma boa confissão, preparando-o para a morte. Estou-lhe pedindo isto, Frei, porque quero que o meu marido vá para o céu, depois da morte.

- Deixe comigo, senhora. A experiência ensinou-me a tratar do enfermo da maneira como convém. Procure manter-se calma.

No quarto, encontrei um doente em extrema fraqueza. Sua voz, um fio sumindo.

Embora não antecipasse em me abrir o jogo sobre a sua realidade, advertiu-me que desejava confessar-se com uma confissão geral, já que seria esta a última da sua vida.

Que ótimas disposições! pensei comigo. É gratificante para o sacerdote encontrar um penitente em tais condições!

Atendi uma confissão de pessoa contrita onde, se havia consciência do pecado, também havia confiança irrestrita na misericórdia de Deus. Seguiu-se a absolvição, a bênção apostólica, a unção dos enfermos, o viático. Numa palavra, recorreu-se ao que a Igreja dispõe de melhor, num caso extremo, como o do Sr. João Mariani.

Não julguei oportuno informar o paciente a respeito do seu delicadíssimo estado de saúde, conforme solicitara a sua esposa, primeiro, porque houvera uma boa confissão, no meu entender. Segundo, eu não era o médico que atendera o doente acometido de cancro. E, em terceiro lugar, viera-me à mente a fórmula do preparado que pode curar o cancro, cujo conhecimento obtivera de Frei Arno Reckziegel, flamante provincial, numa roda de chimarrão, no pátio do Provinciado.

Na portaria do hospital, despedindo-me da minha paroquiana, achei de bom alvitre informá-la do que acabara de realizar:

- Dona Gema, seu marido ficou bem preparado. Quanto ao seu pedido sobre a realidade do estado de saúde, nem toquei no assunto. Achei que não fosse de minha alçada informá-lo sobre o diagnóstico médico, leigo que sou em matéria de medicina.

De mais a mais, conheço um preparado que tem curado o cancer…

- Mas Frei, quem tem cancer, deve morrer. Pelo menos é o que se observa por aí. Creio que o Sr. quer ser gentil numa hora tão difícil. Muito obrigada. Nós somos realistas.

Não adianta esconder.

Perdi tempo em explicar a Dona Gema que é possível curar o cancer. Aliás, Dona Gema foi igual a todas as pessoas com que me deparei diante do caso, a começar por mim mesmo. Com toda a dinheirama que corre no mundo, como é que uma fórmula tão ingénua pode efetuar o milagre?! A mulher continuou firme no seu ponto de vista e continuou convencida de que o seu marido morreria daquilo.

Quando concluí que ‘daquele mato não sairia coelho’, como diz o povo, decidi partir para a ação prática, deixando teorias e palavras.

Por feliz coincidência, encontrei Rubens, o filho do casal, que voltara do Cartório do escrivão Agostinho Basso, a fim de ultimar a papelada para escapar do inventário do património, em caso de morte do pai. Dei-lhe boleia no meu carro, até à entrada da sua propriedade. Pensei com os meus botões:
- Quem sabe se consigo motivar e convencer o filho para aplicar a receita, já que não obtivera êxito com a mãe.

No decurso da viagem, não fiz outra coisa senão convencer o rapaz que estava ao seu alcance evitar que seu pai viesse a morrer de cancro. Para tanto, bastaria fazer o que iria ensinar-lhe.

Chegando ao ponto de desembarque, garantiu-me que sua irmã Rejane, que no dia seguinte haveria de render a mãe, já cansada, no hospital, levaria o preparado para o pai.

A semana decorria como todas as demais. Uma bela manhã, talvez uns oito dias após a unção do enfermo, encontro-me com Rejane, diante da Prefeitura Municipal.

Imediatamente lhe perguntei pelo pai. Disse-me:

- O pai está nas últimas. Os médicos mandaram que fosse morrer a casa…

- Quer dizer que vocês estão com ele em casa?

- Sim, faz três dias que lhe deram alta, quer dizer, não tem mais recurso para ele… E a moça engoliu em seco diante do peso da fatalidade.

- Mas vocês serviram-lhe o remédio que receitei? Ele  tomou-o direitinho?

- Sim, Frei. Eu mesma levei a poção até ao hospital e ele tomou-a na dose diária recomendada e continua tomando. Mas está tão fraquinho! Lá na cama parece um pedaço de arame farpado, desculpe a comparação.

- Olha, se ele tomou o remédio, como garantes, fica tranquila que vai dar certo. Grave é quando as pessoas se negam a ingerir o remédio.

-Sabe, Frei, aconteceu algo estranho. O Sr. sabe que ele tinha aquela bola no baixo ventre, não sabe?

- Não. Não sei.

- Era uma bola do tamanho de bola de ténis.

- Sim, e daí?

- Daí que esta bola desapareceu.

- Ah! então só tenho que te cumprimentar, minha querida, pois teu pai encontra-se fora de perigo! Teu pai venceu a batalha contra o seu cancro. Não fosse assim e como é que aquela bola retrocederia? Pelo contrário, deveria ter aumentado mais e mais…

Por outras palavras, o remédio produziu seus efeitos.

Na verdade, lentamente, João Mariani voltou a alimentar-se melhor. Em poucos dias deixou o leito. Começou a andar pelo quarto. Esgueirando-se pela parede, conseguiu alcançar a cozinha. Sem demora, voltou ao pátio, em contacto com os seus bichos.

Colheu as primeiras espigas de arroz-seco. Comeu as primeiras cítricas da estação.

Chupou cana-de-açúcar com a gana com que fazia nos tempos de garoto.

Com o passar dos meses, além de ajudar na colheita daquele ano, na saída do Outono-Inverno, lavrou a terra a boi e arado, como fizera desde que se conhecera como gente, para as sementeiras da Primavera.

Em 1997 – altura em que foi editado o livro Cancro tem cura - João Mariani (nascido em 1913) mantinha-se vivo, em pleno uso das suas faculdades.

Esta é uma das muitas pessoas que venceram o cancro, ingerindo o preparado que anunciamos. Pode alguém duvidar, mas o facto de João Mariani estar vivo até hoje, apesar de ter sido portador de cancro, constitui-se em prova inequívoca da vitória deste complemento alimentar sobre o terrível mal.

Como João Mariani existem inúmeras pessoas, homens e mulheres, que conseguiram dar a volta por cima, cada qual com a sua história que, mutatis mutandis, é o relato do primeiro paciente cuja cura orientei e cujo êxito me fez acreditar na eficácia desta fórmula para combater o cancro.”
Frei Romano Zago – excerto do livro Cancro tem cura

 

GÂNGLIOS - III

Relato efetuado por João F.: duas semanas antes, tinha o pescoço, a cara e as axilas com enormes gânglios - não lhe perguntámos se a origem era oncológica - sem que a medicina tradicional lhe solucionasse o problema. Tomou um frasco FRZ® Aloe Arborescens e, inacreditavelmente para ele, os "caroços" diminuíram drasticamente, ao ponto de nem termos dado por eles na conversa pessoal. Mas, depois dele referir o facto, verificámos que ainda havia vestígios. Estivera no dia anterior no seu médico e este ficou admiradíssimo pelas melhoras acontecidas. Como é normal nestes casos, não lhe relatou a que produto tinha recorrido. Adquiriu um segundo frasco e estamos certos de que as melhoras, porventura a cura, irá acontecer.
João F. em conversa com António Mota - naturopata e diretor CuraNatura

 

CANCER NA PRÓSTATA - II

Era Natal de 2008 e, na Perfumaria F. do Centro Comercial Oeiras Parque, havia a azáfama do costume nesta época do ano. Uma empregada, ainda nova, queixava-se das pernas e "acudi-lhe" a dizer que as esfregasse com Aloe Arborescens, pois certamente que iria sentir-se mais aliviada. Com ar de sabedora das propriedades da planta, disse-me: sei muito bem as qualidades do Aloe porque o meu pai tem um cancer na próstata que foi dado como irremediável e recomendaram-lhe o "xarope dos frades" - FRZ ® Aloe Arborescens - o qual já o toma há mais de seis anos. E acrescentou: continua vivo, com os índices das análises clínicas da próstata em valores de normalidade."
Ano 2008 - Maria G., empregada dessa perfumaria, em conversa com António Mota, quando apenas era consumidor do xarope Aloe Arborescens.

 

INTESTINOS COM FUNCIONAMENTO IRREGULAR

Uma senhora com cerca de 40 anos com problemas vários de saúde, sendo os intestinos aquele que mais a afetava. Tomou inicialmente três frascos Aloe Arborescens, receita de Frei Romano Zago. Melhorou, de uma maneira geral e ficou com os intestinos, como ela diz, "a funcionar como um relógio." Agora, diz, basta-lhe um FRZ® na Primavera e outro no Outono para manter normal o seu estado de saúde.
Adélia S. – Cascais, em conversa com António Mota, quando apenas era consumidor do xarope Aloe Arborescens.

 

TRATAMENTO DE CANCER COM QUIMIOTERAPIA - I

Uma senhora com cerca de 65 anos, à qual lhe foi detetado cancro na mama e, para além dos tratamentos normais, foi-lhe prescrita a quimioterapia. Simultaneamente, passou a tomar Aloe Arborescens, receita de Frei Romano Zago. Primeiro benefício, disse ela: "não sentiu os incómodos que outras colegas pacientes sentiram durante a quimioterapia." Ao fim de seis anos continua bem, embora não possa ser garantido qual o benefício que o Aloe Arborescens lhe proporcionou.
Ano 2006 - Rita D. – Porto, em conversa com António Mota, quando apenas era consumidor do xarope Aloe Arborescens.

 

ARTEROSES NAS MÃOS E EM OUTRAS PARTES DO CORPO

Este caso passa-se na estação de comboios de Paço de Arcos. Uma senhora, na casa dos 40 anos, queixava-se, dorida das mãos, a uma amiga. E mostrava-as, de facto, muito malformadas. Como do outro lado da linha havia um enorme arbusto com o Aloe Arborescens, não resistimos a recomendar-lhe que massajasse as mãos e outras partes do corpo com o gel daquela planta. Meio incrédula, a senhora ouviu as nossas recomendações sobre como deveria proceder. Duas ou três semanas depois, de novo para embarcarmos naquela estação, vemos uma mulher ao longe a correr na nossa direção: era a senhora queixosa que vinha comunicar-nos as francas melhores e dizer que, como tinha muitos tempos livres no quiosque onde trabalhava, massajava, várias vezes ao dia, as mãos com o gel da planta. Ficámos todos mais felizes.
Ano 2006 - Ex-funcionária do quiosque Kodak na estação de comboios de Paço de Arcos, em conversa com António Mota, quando apenas era consumidor do xarope Aloe Arborescens.

 

Testemunhos vicenciados por Frei Romano Zago, reportados por Michael Peuser no seu livro
Capillaries Determine Our Destiny

 

Caso n.º 1: O padre Romano Zago OFM começou seus serviços na Terra Santa em 7 de maio de 1991. O número de turistas havia diminuído devido à “Guerra do Golfo“. Após um mês de aclimatação, seu abade decidiu transferi-lo ao Santo Sepulcro, o local da Ressurreição do Salvador, lembrado pelos cristãos. Como os três sacerdotes ali residentes não conseguiam sozinhos prestar a devida assistência aos peregrinos, trabalhava lá também um jovem árabe, de nome Nagib. O padre observou que, logo após seu expediente, todos os dias o jovem se dirigia ao Hospital Árabe de Jerusalém. Ele perguntou a seus irmãos sobre o que poderia estar acontecendo e eles esclareceram que esse jovem tinha somente umas poucas semanas mais de vida, por sofrer de câncer na circulação linfática.

Imediatamente, o padre Romano preparou a benéfica mistura brasileira, que tantas vezes tinha usado no Rio Grande do Sul, e deu-a ao jovem Nagib. Como recomendado, ele passou a tomar essa bebida saudável, preparada com Aloe/mel/álcool. Nem ele e muito menos os médicos conseguem entender a razão da cura tão rápida. O jovem árabe Nagib continua vivo até hoje, pois o câncer das glândulas linfática desapareceu.


Caso n.º 2: Certa vez o padre Romano recebeu uma carta do padre Alviero Niccaci OFM, diretor do “Pontificale Athenaeum Antonianum“ de Roma, vindo de sua filial “Studium Biblicum Franciscanum“, em Jerusalém. Lá estudava o padre Francisco Xavier, da Índia. Ele tinha um tumor no cérebro, que já havia sido operado no Hospital Hadassa, mas seguido por infecções misteriosas, que provocaram enormes abscessos na cabeça e na garganta. O pus escorria deles com cheiro tão forte, que ele não podia mais participar das refeições com os demais, tendo que tomá-las separadamente.

O padre Romano preparou-lhe a mistura brasileira de Aloe e em pouco tempo o padre da Índia estava completamente curado, concluiu seus estudos com êxito e retornou, a sua terra natal.


Caso n.º 3: Em 31.08.1991, o padre Romano Zago OFM foi transferido do Santo Sepulcro para Belém, o local do nascimento de Jesus, para lá ensinar Filosofia e Latim. Ele encontrou o diretor da escola bastante perturbado, porque seu secretário, muito doente, estava à beira da morte, sem perspetivas de cura pelos médicos. Sem saber ao certo qual seria a grave doença, ele preparou a mistura brasileira e com ela curou o secretário Michel Soutor, em curto tempo.


Caso n.º 4: No grande convento S. Salvador, em Jerusalém, trabalhava por muitos anos um iugoslavo de nome Eliseu, casado com uma árabe. Ele era responsável, como eletricista, pela manutenção geral. Devido a um câncer de próstata, ele não estava mais em condições de trabalhar e foi dispensado. Ele foi submetido a diversas operações e foi necessário, até mesmo, a retirada dos testículos (“para a alegria de um gato“, como Eliseu dizia jocosamente). Ele ficou condenado à cadeira de rodas e passou a ser um caso de assistência constante para sua esposa e amigos. O administrador do convento, padre Luis Garcia, lembrou-se então da fórmula brasileira à base de Aloe e solicitou a vinda do padre Romano, trazendo consigo a mistura. Eliseu ficou inteiramente curado e voltou a trabalhar na manutenção com as Irmãs de São Vicente na Jaffa Street, em Jerusalém.


Caso n.º 5: Por intermédio da redação da revista “La Terre Sainte“, o padre Romano Zago OFM recebeu uma carta, em francês, sobre uma menina de nome Nicole. Nicole é uma das vítimas da radioatividade da usina de Chernobyl. Depois de apenas um mês de tratamento com a fórmula brasileira, ela pôde retornar a Kiev, na Ucrânia, completamente curada. Nicole tinha 12 anos.

Quando estava na França, recebera uma carta de Moscou, com o pedido de que testasse a mistura do padre Romano Zago OFM. Ninguém conseguiu saber como a informação teria chegado a Moscou; ninguém sabe, ao certo, se outras vítimas da radioatividade foram tratadas da mesma forma. Por que não se fez o mesmo tratamento com todos os que haviam sido afetados em Chernobyl?


Caso n.º 6: A Irmã Hiltrude, da Igreja de Santa Ana, em Jerusalém, visitou o padre Romano Zago OFM para contar que o padre holandês van Gelder fora obrigado a interromper seu trabalho missionário na África, devido a um câncer de fígado, podendo contar, segundo seus médicos, com somente mais três meses de vida. Ele voltou à sua pátria, a Holanda, para lá encerrar sua vida sobre a terra. Na Holanda, ele recebeu a mistura Aloe/mel/álcool, com a qual foi inteiramente curado, podendo então retornar à África, para continuar seu abençoado trabalho.


Caso n.º 7: Dna. Mirna, uma senhora judia da Sokolov Street, de Jerusalém, ouvira falar da fórmula do padre Romano Zago OFM e convidou-o à sua casa, para que ele lhe ensinasse o “segredo“. Ela prestava toda a atenção e, inclusive, pôs-lhe um avental, para que seu hábito de monge não ficasse sujo. Sob sua supervisão, o padre preparou duas garrafas cheias, uma para ela e outra para seu marido. Ela queria testá-la em seu próprio organismo. Ficou tão entusiasmada, que divulgou a fórmula em seu círculo de amigos e conhecidos em Israel e na Itália, onde muitos obtiveram a cura.

A propósito, ela é uma grande admiradora dos franciscanos, sobretudo porque o padre Ricardo Niccaci a havia escondido, com toda sua família, nas abóbadas do convento de Assis, na época das perseguições aos judeus. Ela agora ajuda a tornar a fórmula de sucesso conhecida entre os judeus.


Caso n.º 8: Natali, de 13 anos, da região de Ancone, na Itália, sofria de um câncer cerebral desde seus cinco anos. Já havia sido operada três vezes na mais célebre clínica de Paris, que é uma das melhores do mundo, mas o câncer voltara a se manifestar de forma ainda mais intensa. Cortisona e morfina já não surtiam efeito no alívio das dores dessa criança e uma quarta intervenção fôra descartada pelos médicos. Ela recebeu o produto Aloe/mel/álcool do padre Romano Zago OFM e as dores desapareceram. Ela voltou a falar, brincar e andar de bicicleta. As análises revelaram, contudo, que o câncer persistia. Recebeu um segundo vidro do produto e obteve a cura total. A análise posterior não trazia mais sinais de câncer.


Caso n° 9: Marcos, de seis anos, portador de leucemia, chegou com seus pais a Belém. Os médicos haviam dado como possível uma sobrevida de dois meses, mas a Aloe, que ele recebeu do padre Romano Zago OFM, ajudou-o. Antes o menino estava preso à cadeira de rodas. Após o uso da Aloe, ele começou a andar sozinho, arrastando só a perna direita. Depois do consumo de um segundo vidro de Aloe, preparado em Belém, o pai telefonou, da África do Sul, dizendo que o prazo que havia sido dado pelos médicos já havia passado e que o menino continuava vivo. Tendo recuperado, inclusive, a mobilidade normal da perna direita.

Ele venceu a leucemia. Os pais convidaram o padre Romano a visitá-los na África do Sul e Moçambique, para lá divulgar a fórmula e fizeram questão, profundamente, gratos, de presenteá-lo com um belo relógio Seiko. O padre Romano retorquiu que a cura de seu filho não fora feita por ele, mas, sim, pelo Aloe.


Caso n.º 10: Um dos casos mais conhecidos, divulgado em detalhes na revista “La Terre Sainte“, é a história do garoto Juan, da Argentina, que sofria de leucemia. O transplante da medula, feito na Espanha, não havia transcorrido bem e, antes de morrer, ele queria conhecer a Terra Santa. Ele travou conhecimento com o padre Romano Zago OFM e com a bebida brasileira à base da Aloe. Ele sarou completamente e leva uma vida inteiramente, normal em El Palomar/Buenos Aires, na Argentina.

Um caso quase igual ocorreu em Nazaré/Israel. Daniel Silberstain não encontrava doador para o transplante de medula. Nenhum de seus familiares fora considerado compatível e seu pai, um médico renomado e bem relacionado, tinha chegado até a publicar anúncios nos periódicos americanos.

Fortalecido pelo caso de Juan, da Argentina, o Frei Romano Zago “provocou“ a mãe de Daniel Silberstain ao desejar-lhe que não encontrasse o procurado doador. A partir disso, seu filho Daniel começou a tomar o preparado Aloe/mel/álcool e sarou completamente. Não perdeu mais nenhuma aula, foi aprovado em todos os exames e é, agora, o melhor da classe. O Frei Romano Zago recomendou-lhe que volte a tomar Aloe, em intervalos maiores, como garantia.


Na literatura científica encontramos igualmente relatos sobre o tratamento de câncer em pacientes terminais, onde o emprego da Aloe apresentou resultados excelentes: vide Lissoni P., Giani L., Zernini S., Trabattoni P., Rovelli F. (1998) Biotherapy with the pineal immunomodulating hormone

Melatonin versus Melatonin plus Aloe vera in untretatable advanced solid neoplasms. – Nat. Immun.

16 (1): 27 – 33.